Os surfistas chamam de secret spot – ou em bom português, local secreto – uma daquelas praias paradisíacas cujas ondas, maravilhosas e altamente surfáveis, ainda não foram descobertas pelo grande público. Como uma confraria, mantêm o segredo para que possam continuar usufruindo daquele pedaço de mar sem ter que dividi-lo com os outros, evitando assim o crowd – ou em bom português, a galera.

Como o café ideal é bem diferente da onda perfeita, a gente revela aqui um secret spot ali no Largo do Machado.

Dentro de uma pequena e charmosa vila de casas, as quais abrigam diversos espaços criativos, há uma casa com uma porta de madeira sempre aberta e mesinhas vermelhas do lado de fora, onde funciona o Café Secreto – uma das cafeterias mais intimistas da cidade. O ambiente acolhedor e inspirador do local foi o que chamou a atenção da barista Gabi Ribeiro. A cafeteria é fruto de seu antigo desejo de empreender um negócio ligado à gastronomia. A ideia foi sendo lapidada até que a paixão pelos cafés especiais falou mais alto:

 

“A ideia inicial era montar algo parecido com um empório, que vendesse comidinhas, queijos, vinhos e frios. No entanto, percebi que o projeto estava ficando grande demais, um passo maior do que eu poderia dar. As minhas pesquisas e a paixão por tomar café me levaram a fazer alguns cursos de barista, que acabaram direcionando o foco para uma cafeteria”

– conta.

 

As especialidades da casa

O bacana do Café Secreto é a variedade de métodos de extração. Além do espresso e seus derivados, a casa oferece cafés coados no AeroPress, Hario e Kalita – este último, um coador prateado de base chata e com filtro sanfonado (tipo uma forma de brigadeiro), ainda raro nas cafeterias do Brasil, que entrega uma bebida com bastante corpo.

Outra exclusividade é o culito, um pequeno e delicado bolinho à base de farinha de arroz e coco que acompanha divinamente um bom café. O Secreto também é a casa de duas bebidas deliciosas que não estão nos cardápios de outras cafeterias: o London Fog (chá Earl Gray, leite vaporizado e extrato de baunilha) e o Tropicália (espresso, água de coco e gelo), ambos devidamente provados e aprovados.

café-6119[1641]

 

Cafés sem mistério

O espaço da cafeteria é muito bem aproveitando, ampliando o conceito intimista da vila em que se encontra. Um balcão de concreto divide o lugar ao meio: de um lado, um time de baristas sempre dispostos a conversar sobre café e apresentar novidades sobre a bebida; do outro, vizinhos, amigos, clientes assíduos e gente que chega ali meio que desavisadamente, atraída pelo clima do local.

A proximidade com a qual o café é feito, já que a casa é estreita, faz com que a experiência seja realmente agregadora. É possível observar os grãos sendo separados, moídos e preparados sem pressa, exatamente como manda o figurino. O resultado é aquele aroma inconfundível tomando conta do ar. Uma bem-vinda pausa na correria do dia a dia lá fora para recarregar as energias.

 

Não precisa manter o segredo, ok?

Aberto desde setembro de 2015, o Café Secreto foi ganhando fama e deixando de se tornar tão secreto assim, ainda que o charme de estar meio que escondido, distante do movimento da rua, permaneça.

“No começo, até tínhamos medo de vender menos por não estarmos virados para a rua, no meio do movimento. Acabamos transformando isso em algo positivo. Essa fuga da confusão e da rotina se tornou o charme do Café Secreto.”

– explica Gabi.

 

De fato, a cafeteria está sempre movimentada! Fica aberta de segunda à sexta, das 9h às 18h. Pode espalhar por aí: o endereço é Rua Gago Coutinho, 6, casa 8.

 

Eduardo Frota-perfil

Eduardo Frota é jornalista, barista e apaixonado por café

About The Author

Related Posts