Quem entra na pequena loja da Rua São João Batista, em Botafogo, é imediatamente tragado para um ambiente diferente – delicioso e aconchegante. Há uma espécie de névoa tênue, repleta de aromas incríveis, que ocupa sutilmente toda a Slow Bakery – em grande parte porque a cozinha, onde os pães artesanais com fermentação natural são assados, é aberta.

20170901_111110

Ludmila Espíndola e Rafa Britopereira começaram o negócio juntos em 2004, entregando pães em domicílio e participando de pequenas feiras gastronômicas da cidade, como a Junta Local. A paixão pelo pão fez com que os dois sócios mudassem definitivamente a área de atuação. Na agência de comunicação no Joá, a mesa que dava lugar ao computador se transformou em um balcão para botar a mão na massa e levar a sério o ofício de fazer pão.

“Na época em que tínhamos a agência, nunca havíamos feito pão de verdade. Era uma gororoba. Acontece que não havia padaria por perto, então precisávamos nos virar. Acabamos comprando livros, fazendo cursos e estudando bastante até chegar ao pão de fermentação natural”

– explica Ludmila.

 

Pão e café: a combinação perfeita

20170901_113636

20170901_113952

O próximo passo foi atender ao pedido dos clientes: um café para acompanhar. Ludmila e Rafa lançaram uma campanha de financiamento coletivo e conseguiram montar uma cafeteria – que serviria não somente pães e café, mas uma série de outras delícias feitas ali mesmo, seguindo o conceito da slow food.

20170901_113330

20170901_130717

Uma vez que na Slow Bakery só entram ingredientes que os donos gostam, a ideia era vender apenas cafés coados. Nada de espressos! Essa característica peculiar acabou se transformando em uma espécie de ato de resistência.

 

“Na maioria das padarias que oferecem boas opções de pães, o café não é bom. O coado, inclusive, costuma ser de graça. Aqui, fazemos diferente. Como adoramos café coado, que é o que bebemos em casa, resolvemos oferecer a mesma experiência aos nossos clientes. É uma questão de opção pelo sabor.”

– conta Rafa.

 

Logo nos primeiros dias de operação, uma situação bastante engraçada pegou os dois sócios desprevenidos. Um senhor entrou na Slow Bakery e, além do pão, pediu um café para acompanhar. Ao receber a caneca, pediu açúcar.

 

“Nós nem temos açúcar em casa. Logo, não havia açúcar na cafeteria! Olhamos um para a cara do outro, surpresos, sem saber o que fazer. Acabamos pegando um pouco de mel e dizendo ao cliente que era assim que adoçávamos o café na Slow Bakery.”

– diverte-se Rafa ao lembrar do caso.

 

Todo o carinho de um coado

Quem cuida da carta de grãos e do preparo dos cafés é a barista Dri Menezes – que está sempre selecionando novidades para harmonizar os sabores e os aromas dos produtos que a casa oferece. Por isso, não é raro poder beber cafés de diferentes regiões do Brasil – todos feitos com calma e carinho, seguindo os preceitos da slow food.

20170901_111507

“O café coado tem todo esse carinho envolvido no processo de extração, algo que o espresso não tem, já que é mecânico. Isso combina muito bem com as opções de comida que oferecemos aqui, já que todas também são preparadas com essa calma, sem pressa, com atenção a cada detalhe.”

– conta Dri.

 

Todos os ingredientes usados na Slow Bakery são produzidos lá mesmo, sem pressa. A massala, por exemplo, é toda preparada na casa. Depois de pronta, é usada em diversos itens do cardápio, adicionada ao café, à limonada e ao tortini, por exemplo.

 

“Adoramos tudo que demora para ser feito!”

– brinca Rafa.

20170901_114333

20170901_114334

 

Novidades em breve

O esmero com o qual as comidas são preparadas resultam em delícias que precisam ser provadas. O queijo quente de canastra no pão de fermentação natural é de comer de joelhos – com um café, fica melhor ainda! O bolo da Lari, que leva banana, aveia, castanha e chocolate, desmancha na boca – com um café, também fica melhor ainda! E o pão na chapa com a manteiga artesanal de leite cru é uma das duplas mais pedidas na casa – que, com um café, adivinhem? Fica melhor ainda! 

A predileção pela conquista do sabor, sem pressa, ainda vai render novos frutos muito em breve. Em primeira mão, ficamos sabendo que em breve o cold brew do Slow Bakery será envasado e comercializado. O nome escolhido não podia ser outro: Slow Coffee.

20170901_125753

20170901_115844 (1)

A Slow Bakery serve e comercializa um blend da casa desenvolvido em parceria com a 4 Beans. Além disso, recebe todo mês cafés convidados. É muito comum encontrar seleções do Have a Coffee por lá. Ficamos muito felizes em estar juntos de um projeto tão bacana!

 

 

Eduardo Frota-perfil

Eduardo Frota é jornalista, barista e apaixonado por café

About The Author

Related Posts