Antes do Papa Clemente VIII, a vida dos católicos amantes do café deve ter sido bem difícil. Isso porque, de acordo com relatos dos antigos clérigos, as origens orientais da bebida faziam com que ela fosse proibida para os membros da congregação apostólica romana. Os conselheiros da igreja alegavam que o café era uma invenção amarga de “Satanás”, difundida entre os muçulmanos para amaldiçoar o mundo.

No entanto, tudo mudou quando o próprio Papa Clemente provou um cafezinho. E deve ter sido especial, daqueles bem doces, de acidez acentuada e sem nenhum ponto de amargor, porque ele teve coragem de bater de frente seus contemporâneos e voltar atrás na decisão de proibir a bebida.  De xícara em punho, teria declarado:

 

“A bebida de Satanás é tão deliciosa que seria uma pena deixar os infiéis fazendo uso exclusivo dela”

 

Quando questionado sobre a decisão de liberar o café, o Papa teria alegado que era melhor abençoar os grãos do que as bebidas alcoólicas – lembrando que o vinho tinha importância substancial nos rituais religiosos.

Se a narrativa é verídica, não se se sabe. Porém, não deixa de ser curiosa. Então, oremos: o café está liberado por aqui. Escolha a quantidade, se moído ou em grãos, e assine o Have a Coffee.

Bons cafés e amém!

 

 

Eduardo Frota-perfil

Eduardo Frota é jornalista, barista e apaixonado por café

About The Author

Related Posts